EFEMérida

Representantes de embaixadas de países lusófonos, como Angola, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde, Moçambique e Timor, de Portugal, da Extremadura Avante e empresas extremenhas participam esta sexta-feira em Olivença num encontro no que estudam possíveis vias de colaboração.

A recente incorporação de Olivenza à União das Cidades Capitais de Língua portuguesa (UCCLA) possibilitou estas I Jornadas de intercâmbio empresarial "Olivenza mira al futuro- Olivenza olha para o futuro", em cuja inauguração participou a diretora geral de Ação Exterior, Rosa Balas.

O encontro dirige-se prioritariamente a empresários extremenhos, aos quais se dará a conhecer as possibilidades oferecidas por países membros da UCCLA para as suas empresas.

Rosa Balas destacou as oportunidades de colaboração com outros espaços do âmbito lusófono que esta entidade oferece e a capacidade de Olivenza para conservar o seu rico legado português, informou o Governo da Extremadura em comunicado.

Balas reconheceu que, no caso da Extremadura, conhecer a língua portuguesa facilita as relações não só com o país vizinho mas também com os países lusófonos, o que abre novas oportunidades de negócio.

Neste sentido, recordou que aumentar o número de falantes de português e espanhol vai permitir aumentar o peso desta comunidade e procurar alianças, pelo que ofereceu a colaboração da Direção Geral de Ação Exterior para apoiar qualquer iniciativa entre Portugal, Extremadura e os países lusófonos.

Foram realizadas no evento duas mesas redondas, além de um percurso guiado por Olivenza, reuniões de trabalho e uma visita à empresa oliventina Armazéns Delgado e Filhos, um dos exemplos de cooperação empresarial com Portugal.