EFECuacos de Yuste (Cáceres)

O presidente da Junta da Extremadura, Guillermo Fernández Vara, pediu esta quinta-feira, Dia da Europa, a "não voltar a cometer os mesmos erros do passado, onde a cegueira dos autoritarismos" inundavam "territórios fechados".

"A nossa melhor bandeira é a democracia, com a base sólida da constitucionalidade e a igualdade", disse Fernández Vara durante o seu discurso no ato de entrega do Prémio Europeu Carlos V, que esteve presidido pelo rei Felipe VI de Espanha.

O chefe do Executivo autónomo apelou à defesa da razão e ao humanismo para deixar para trás os que "só fazem barulho porque ainda são perseguidos pelos ecos dos populismos que os faziam acreditar ser superiores e que tanto dano fizeram".

Após ressaltar que o futuro é a paz e a concordia, Fernández Vara valorizou a necessidade de "aprofundar e avançar no que nos une, nunca no que nos separa".

O Prémio Europeu Carlos V recaiu este ano nos Itinerários Culturais do Conselho da Europa, os quais, na opinião de Vara, simbolizam a promoção da democracia cultural, o fomento do diálogo e a difusão de valores, atitudes e comportamentos.