EFEMérida

A Sala Trajano de Mérida programa esta sexta-feira a obra "Muerte por ausencia", uma reflexão sobre a passagem do tempo, escrita e realizada por Marino González Montero e colocada em palco por Jesús Manchón, Francis Lucas e Ana García Pérez.

É uma obra atual, um drama psicológico sem alusões temporárias, onde a ação poderia realizar-se em tempos pretéritos ou num futuro próximo, embora tenha elementos que lembram obras da antiguidade clássica através de personagens intrigantes, avassaladoras, complexas e complexadas.

O que em princípio parece um encontro casual torna-se ao longo da obra numa encruzilhada complicada, que perturba e intranquiliza, que remove e transforma estes originais indivíduos.

Contada com diálogos muito ágeis, não isentos de poesia, ironia, mordacidade e humor negro, "Muerte por ausencia" é um exercício de alto risco interpretativo para os atores, que terão nas suas mãos uma série de espelhos côncavos onde se verão refletidos vários espectadores.