EFEMérida

A plataforma Sudoeste Ibérico em Rede, que quer que em 2024 haja um corredor ferroviário Madrid-Lisboa, pede que no primeiro trimestre de 2020 esteja em funcionamento um comboio de altas prestações entre Madrid e Badajoz.

Tal foi assinalado esta quarta-feira em conferência de imprensa em Mérida pelo coordenador da entidade, Antonio García Salas, que acrescentou que outra reivindicação é que a princípios do próximo ano haja um compromisso "e ações" para que em 2021 um comboio de passageiros entre ambas capitais nacionais esteja em funcionamento.

Estas três reivindicações inscrevem-se no objetivo, dentro do Guião 2021-2030, de ligar o Corredor Sudoeste Ibérico às redes ibéricas e europeias do século XXI.

García Salas explicou que o Sudoeste Ibérico em Rede continua o trabalho da entidade Extremadura em Rede, procurando divulgar entre as administrações públicas e a população o significado e a importância do Corredor ferroviário luso-espanhol e que se habilitem as infraestruturas precisas para que isso seja possível em 2024.

O coordenador extremenho assinalou que neste mês realizou-se em Madrid o II Fórum Corredor Sudoeste Ibérico, ao qual assistiram cerca de 500 empresários, diretores e responsáveis políticos que participaram em várias mesas de trabalho nas quais, disse, se mostrou que esse corredor é "essencial", pois não é local mas sim internacional.

Também se constatou que tem vários conteúdos, entre eles o agroalimentar, o logístico, o turístico e o do conhecimento e da inovação, e que infraestruturas como o porto de Sines são fundamentais.