EFEMérida

O álbum das aventuras de Tintin "Lah jalajah de la Cahtafiore" ("As Jóias de Castafiore", em português) foi traduzido a seis dialetos espanhóis, entre eles o castúo (o dialeto extremenho) para dar a conhecer a fala "do poeta Luis Chamizo e dos nossos antepassados rurais".

Tal foi explicado pelo colecionador e promotor da tradução, Juan Manuel Manzano; junto ao tradutor, José Sánchez del Viejo, e a delegada de Cultura na Câmara Municipal de Mérida, Silvia Fernández, durante a apresentação oficial desta edição na Extremadura que se realizou esta terça-feira em Mérida.

Manzano destacou a "grande aceitação" da edição em castúo, já que se editaram um total de 1.200 exemplares, 500 dos quais foram vendidos fora de Espanha fruto da curiosidade que despertou um dialeto "que quase ninguém conhece".

Esta história foi escolhida porque é a "mais rural" da coleção, com paisagens de estevas e azinheiras.

Neste sentido, Fernández assinalou a originalidade da obra que mistura as raízes extremenhas e um formato tão "divertido e dinâmico" como a banda desenhada.