EFEPequim

As autoridades aeroportuárias de Hong Kong cancelaram esta segunda-feira todos os voos, depois de milhares de manifestantes terem ocupado o terminal do aeroporto internacional da cidade pelo quarto dia consecutivo.

A autoridade aeroportuária atribuiu os cancelamentos, que afetaram todos os voos a partir das 16h local (8h GMT), a "uma grande quantidade de manifestantes que impediu que os passageiros pudessem realizar o check-in" e interromperam "gravemente" o serviço.

Os acessos ao aeroporto foram tomados depois dos manifestantes se dirigirem até ao local de autocarro, de acordo com o jornal South China Morning Post.

O jornal aponta que as principais companhias aéreas deram ordens aos trabalhadores para que encerrem o trabalho antes da hora prevista devido a "preocupações de segurança".

Segundo o site Hong Kong Free Press, os milhares de manifestantes que se reuniram hoje no aeroporto queriam protestar contra o uso da força pela polícia durante os eventos no fim de semana.

Este site informou que uma pessoa foi ferida num olho devido aos ataques da polícia, o que fez com que muitos manifestantes cobrissem os seus olhos hoje em sinal de protesto.

Por sua vez, os meios de comunicação oficiais chineses asseguram que os manifestantes tinham enchido o terminal do aeroporto pelo quarto dia consecutivo.

No sábado, centenas de manifestantes também tomaram o terminal durante a noite, onde entregaram folhetos para tentar conscientizar os visitantes estrangeiros sobre a crise de Hong Kong.