EFEBerlim

A Alemanha arranca esta segunda-feira um levantamento gradual das medidas restritivas com a abertura de estabelecimentos comerciais com menos de 800 metros quadrados.

Já as lojas de bicicletas, concessionárias de carros e livrarias poderão abrir, independentemente do seu tamanho.

No entanto, nem todos os estados federados vão começar esta segunda com a abertura. A Baviera, por exemplo, irá esperar até à próxima semana.

Os restaurantes, o setor mais afetado pelas medidas restritivas, continuarão fechados.

"É lamentável que tenha que ser assim, mas em um restaurante é difícil tomar medidas de proteção. O uso de máscaras faciais seria absurdo e manter as distâncias entre os clientes não é fácil, especialmente quando há álcool", disse o primeiro-ministro da Baviera, Markus Söder.

O líder bávaro reiterou que os efeitos económicos da pandemia serão sentidos, independentemente da velocidade com que a Alemanha voltar ao normal.

"Enquanto grandes mercados como os EUA se encontrarem em dificuldades, a nossa economia vai continuar a sofrer. Não se trata apenas de negócios, mas sim de empregos e do nosso bem-estar", afirmou.

Os números oficiais de hoje indicam que foram registados 141.672 casos de COVID-19 na Alemanha, com 4.404 mortes, segundo o Instituto Robert Koch. Já a Universidade Johns Hopkins, nos EUA, estima que houve 145.743 contágios até ao momento, com 4.642 óbitos.