EFEBerlim

O número de novos casos de coronavírus detetados na Alemanha nas últimas 24 horas marcou o seu valor máximo dos últimos 105 dias, com 1.449 infetados, informa esta sexta-feira o Instituto Robert Koch (RKI), centro epidemiológico de referência.

Trata-se do maior número de casos desde 1 de maio, quando foram registados 1.639, e representa uma pequena subida a respeito dos 1.445 do dia anterior, mantendo a tendência de aumento das últimas semanas. Está ainda longe, contudo, dos mais de 6.000 diários do início de abril.

Enquanto em junho a média de novos casos diários se tinha estabilizado entre os 300 e os 350, a média subiu significativamente nos últimos dias, com seis dias acima de mil infetados desde 6 de agosto.

Desta forma, o número total de infetados pelo Sars-CoV2 na Alemanha sobe até aos 221.413, 200.000 dos quais conseguiu vencer a doença. O número de falecidos com ou por COVID-19 sobe até aos 9.225 depois dos novos 14 nas últimas 24 horas.

A taxa de reprodução diária (R) encontra-se em 0,91%, o que significa que cada paciente infeta em média pelo menos uma pessoa. O valor R médio dos últimos sete dias é no entanto mais elevado, 1,06, segundo os dados do RKI.

Os especialistas do RKI e o próprio ministro alemão da Saúde, Jens Spahn, mostraram-se preocupados nos últimos dois dias pela evolução da pandemia nas últimas semanas e durante uma altura em que começaram a abrir as escolas.

A imprensa, por sua vez, começa já a falar de uma segunda vaga.