EFEMiami (EUA)

Brad Parscale, antigo gestor de campanha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi internado no domingo após ameaçar suicidar-se na sua casa em Fort Lauderdale, na Flórida.

A polícia recebeu uma chamada na qual uma mulher, depois identificada como a esposa de Parscale, Candice, alertava que "um homem armado ameaçava suicidar-se", segundo o Departamento de Polícia de Fort Lauderdale.

"Quando os agentes chegaram ao local, fizeram contato com a esposa do indivíduo armado, que informou que o marido estava armado e tinha acesso a diversas armas de fogo dentro da residência, e ameaçada ferir-se a si próprio", disse a polícia em comunicado.

Os agentes que estavam no local "fizeram contato com ele, estabeleceram uma relação e negociaram de maneira segura para que saísse da casa". "O homem foi detido sem lesões e transportado ao Centro Médico de Broward Health", acrescentou a corporação.

Parscale foi destituído do cargo de gestor este verão, após Trump reclamar da forma como ele gastou o dinheiro da campanha e depois da queda do presidente nas sondagens, em grande parte devido à gestão da pandemia de Covid-19.

Embora tenha mantido uma posição de alto nível na campanha, lidando principalmente com a angariação de recursos digitais e publicidade digital, Parscale raramente foi visto na sede após a sua destituição, segundo a "CNN".

"Brad Parscale é um membro da nossa família e todos nós o amamos. Estamos prontos para apoiá-lo de todas as maneiras possíveis", disse Tim Murtaugh, gestor de comunicação da campanha de Trump, em comunicado.