EFESão Paulo

O apoio ao Governo do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, caiu seis pontos percentuais, até 24%, o nível mais baixo desde o início do seu mandato, a 1 de janeiro de 2019, de acordo com um inquérito divulgado na noite de quarta-feira.

O apoio passou dos 30% de março para os atuais 24%, segundo a sondagem do instituto Datafolha, que entrevistou 2.071 pessoas entre 11 e 12 de maio e tem uma margem de erro de dois pontos percentuais.

A popularidade do líder da extrema-direita brasileira tem vindo a diminuir nos últimos meses, depois de ter atingido um recorde de 37% em dezembro de 2020, treze pontos percentuais mais elevado do que a sua aprovação atual.

A taxa de desaprovação, por sua vez, aumentou um ponto percentual, de 44% em março para 45%.

A Datafolha revelou também na véspera que Bolsonaro perderia as eleições presidenciais de 2022 para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o seu principal rival, que recuperou os seus direitos políticos há pouco mais de dois meses.

Segundo a sondagem, Lula (2003-2010), que voltou à arena política, ganharia com 55% dos votos contra os 32% do capitão da reserva do exército, um dos líderes mais negacionistas sobre a gravidade da pandemia.

O líder do Partido dos Trabalhadores deu sinais de uma possível candidatura para as eleições do próximo ano depois do Juiz do Supremo Tribunal, Edson Fachin, ter anulado quatro julgamentos contra si nos tribunais de Curitiba devido a um conflito de jurisdição e ter decidido que os processos deveriam ser reiniciados noutros tribunais.

A decisão deixou sem efeito as sentenças de quase 26 anos de prisão que pesaram contra Lula, que chegou a passar 580 dias na prisão depois de ter sido condenado por corrupção.