EFEViena

O escândalo suscitado por um vídeo que compromete seriamente por corrupção ao vice-chanceler da Áustria e líder do partido ultranacionalista, Heinz-Christian Strache, causou um terremoto político na república alpina a uma semana das eleições ao Parlamento Europeu.

Segundo a agência austríaca APA, Strache se reunirá com o chanceler federal e líder do conservador Partido Popular (ÖVP), Sebastian Kurz, às 11.00 hora local (09.00 GMT) na sede do Governo.

Todos os meios dão por sentado que o vice-chanceler anunciará depois a sua demissão à chefia do seu Partido Liberal (FPÖ), como pediu ontem a oposição em bloco, e muitos vaticinam inclusive a ruptura da coalizão ÖVP-FPÖ que subiu ao poder ao fin de 2017, e, em consequência, eleições antecipadas.

Depois de ter convocado na sexta-feira uma reunião de emergência da sua equipa que durou até altas horas da noite, espera-se que Kurz compareça frente a imprensa a primeira hora da tarde, indica APA.

O escândalo se suscitou na tarde de ontem, quando dois meios alemães publicaram um vídeo no qual Strache e o chefe do grupo parlamentar do FPÖ, Johann Gudenus, se mostram dispostos a compensar com contratos e favores a supostos oligarcas russos em troca de ajudas à sua campanha eleitoral.