EFEBruxelas

A Bélgica anunciou esta quarta-feira que vai aplicar quarentena obrigatória aos viajantes que cheguem ao seu território provenientes da União Europeia (UE) e países associados considerados como "zonas de risco" de coronavírus, com base numa lista revisável que divide os estados de origem em três grupos.

Esta decisão, que será efetiva em toda a Bélgica, vai-se basear numa lista de países elaborada e regularmente atualizada pelo ministério dos Negócios Estrangeiros belga, cuja última versão data de 8 de julho.

A partir desta quarta-feira, quatro países do espaço europeu encontram-se na categoria vermelha, ou seja, onde um viajante não essencial, por exemplo um turista, deve passar por uma quarentena obrigatória de 14 dias: Finlândia, Irlanda, Malta e Noruega.

Para além da quarentena, vai-se exigir aos viajantes um teste de deteção da Sars-Cov-2 nove dias depois da chegada à Bélgica.

Na categoria seguinte, laranja, a quarentena é voluntária mas recomendada, e inclui atualmente Espanha, Portugal, Grécia, Reino Unido e Islândia.

Também é recomendado aos viajantes destes países a realização de teste, embora não seja obrigatório.

Por último, o ministério dos Negócios Estrangeiros belga não recomenda nenhuma medida adicional para além dos protocolos habituais de distanciamento físico e higiene aos países da terceira categoria, a verde.

Esta lista inclui a Áustria, França, Alemanha, Hungria, Itália, Luxemburgo, Letónia, Croácia, Holanda, Polónia, Roménia, Eslováquia, Suécia, Liechtenstein, Lituânia, Estónia, Bulgária, República Checa e Eslovénia.

O ministério especifica que a lista será atualizada de acordo com os critérios do Comité de Concentração, que se reuniu esta quarta. De acordo com a emissora pública francófona RTBF, pode-se esperar que futuras versões desta lista se refiram não só a países mas também as regiões afetadas.