EFELa Paz

As principais cidades da Bolívia apresentaram na manhã desta terça-feira ruas ainda quase desertas e com barricadas da noite anterior, mas com as primeiras pessoas e veículos a sair para as suas atividades diárias, tentando recuperar a normalidade e sem relatos da presença de militares.

La Paz, Santa Cruz de La Sierra, Cochabamba e outras cidades do país estavam praticamente desertas ontem à noite, com soldados a patrulhar as ruas em apoio à polícia, sendo aplaudidos por alguns grupos de pessoas.

As Forças Armadas responderam a um apelo da polícia que estava sobrecarregada graças a grupos armados que ontem causaram incidentes em várias partes do país, com um número indeterminado de feridos.

Evo Morales deixou ontem à noite a Bolívia num avião das Forças Aéreas Mexicanas, que hoje descolou do aeroporto internacional de Assunção, onde chegou de madrugada e ficou cerca de quatro horas para reabastecer.

O México concedeu asilo a Morales, que no último domingo renunciou à presidência da Bolívia após quase 14 anos no poder, no meio da pior crise política e social dos últimos anos no país.

A Defensora do Povo da Bolívia relata pelo menos três mortes e mais de 400 feridos desde o início dos protestos.