EFERio de Janeiro

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, substituiu esta quarta-feira o seu ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, poucos dias após o ter criticado publicamente por permitir que a petrolífera estatal Petrobras anunciasse um novo aumento nos preços do gasóleo.

De acordo com um decreto publicado hoje no Diário Oficial e que não tinha sido anunciado previamente, o líder da extrema-direita substituiu Albuquerque, um almirante da Marinha e um dos seus principais homens de confiança, pelo economista Adolfo Sachsida.

Apesar do decreto afirmar que a substituição foi efetuada a pedido do ministro demissionário, a alteração acontece apenas seis dias depois do chefe de Estado ter lançado duras e públicas críticas ao seu ministro e ao presidente da Petrobras, José Mauro Coelho, pelos contínuos ajustes nos preços dos combustíveis.

A Petrobras, que tem uma política de paridade de preços através da qual a cotação internacional do petróleo reflete diretamente no mercado brasileiro, anunciou esta semana um novo aumento do diesel, o principal combustível usado pelos camiões no Brasil, um ajuste que pode pressionar ainda mais a crescente inflação, que já se aproxima do 12% em termos homólogos, a poucos meses das eleições presidenciais.

"Vocês não podem, ministro Bento Albuquerque e senhor José Mauro, da Petrobras, não podem aumentar o preço do diesel. Não estou apelando, estou fazendo uma constatação levando-se em conta o lucro abusivo que vocês", disse Bolsonaro numa transmissão em direto nas redes sociais, referindo-se ao lucro líquido recorde anunciado nesse mesmo dia pela petrolífera estatal.

"Vocês não podem quebrar o Brasil. É um apelo agora: Petrobras, não quebre o Brasil, não aumente o preço do petróleo. Eu não posso intervir (na empresa). Vocês têm lucro, têm gordura e têm o papel social da Petrobras definido na Constituição", acrescentou o presidente.

Bolsonaro, que procura ser reeleito no próximo outubro mas aparece em segundo lugar nas sondagens a grande distância do favorito, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, descreveu, aos gritos, os lucros da Petrobras como uma "violação" que só beneficia investidores estrangeiros.

Apesar de ser de controlo estatal, a Petrobras tem ações negociadas nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque e Madrid e regras que impedem uma intervenção direta do Estado.

A petrolífera anunciou na semana passada que no primeiro trimestre conseguiu um lucro de 44.561 milhões de reais (cerca de 8.912,2 milhões de dólares), 3.718% superior ao dos três primeiros meses de 2021 e o maior valor para o período na sua história.

Cinco dias depois a estatal anunciou um aumento no gasóleo de 8,87% que, segundo os economistas, terá um forte impacto na inflação do Brasil nos próximos meses.

Sachsida, agora novo ministro de Minas e Energia, era assessor e homem de confiança do ministro da Economia, Paulo Guedes.