EFEAtenas

Os bombeiros tentam controlar esta quarta-feira o incêndio declarado durante a madrugada na ilha grega de Eubeia, que arrasou grandes zonas de uma floresta incluída na Rede Natura 2000, embora não haja informações sobre vítimas.

As autoridades ordenaram ontem a evacuação preventiva de quatro aldeias e um mosteiro e, embora as chamas tenham atingido a aldeia de Makrimallis, parece que os danos se limitaram a alguns automóveis.

As imagens de satélite facilitadas pelo Serviço Europeu Copérnico mostram que o perímetro do incêndio supera os 11 quilómetros, mas o fumo intenso impediu até agora ter uma ideia mais clara da superfície arrasada.

Segundo informaram os bombeiros, as principais frentes ativas continuam na área da aldeia de Makrimallis, no mosteiro próximo e nas florestas situadas um pouco mais ao norte.

Um bombeiro voluntário sofreu pequenas queimaduras nas mãos e foi levado a um hospital da zona.

Operam na área um total de 227 bombeiros, com 75 veículos terrestres e onze aéreos, incluídos dois aviões enviados desde Itália.

A Grécia tinha solicitado na quarta-feira ajuda através do Mecanismo Europeu de Proteção Civil e recebeu uma oferta imediata de Itália e da Croácia.

Houve problemas com o envio das aeronaves croatas, pelo que a Proteção Civil pediu assistência a Espanha, que respondeu positivamente.

Representantes dos bombeiros e das autoridades locais disseram à imprensa que o enfraquecimento dos ventos está a facilitar as tarefas de extinção, mas está prevista para a tarde sequências de maior intensidade.

Os trabalhos de extinção desde o ar foram dificultados pelas turbulências que originaram as fortes temperaturas e pela escassa visibilidade devido à grande concentração de fumo, que inclusivamente chegou a atingir Atenas, situada a 70 quilómetros de distância.