EFEBerlim

A União Democrata-cristã (CDU) da chanceler alemã, Angela Merkel, vai realizar a 25 de abril em Berlim um congresso extraordinário para eleger o seu novo líder, visto como o possível candidato conservador à Chancelaria nas eleições de 2021.

A presidente saliente da CDU, Annegret Kramp-Karrenbauer, anunciou esta segunda-feira a decisão depois da reunião da direção do partido, que analisou os maus resultados obtidos este domingo em Hamburgo, onde conseguiram os piores resultados da sua história, ficando como a terceira maior força e permanecendo na oposição.

"A eleição do novo presidente" deve mandar o "claro sinal" de que essa pessoa será também o "candidato ou candidata à Chancelaria" da CDU, sublinhou Kramp-Karrenbauer.

Atualmente contemplam-se quatro nomes para liderar o partido conservador na era pós-Merkel: o ministro da Saúde, Jens Spahn; o chefe do Executivo na Renânia do Norte-Westfalia, Armin Laschet; o chefe da comissão dos Negócios Estrangeiros, Norbert Röttgen, e o ex-porta-voz parlamentar Friedrich Merz.

A CDU encontra-se em crise desde que o partido na Turíngia votou a favor de um chefe de Governo liberal ao lado da extrema-direita, rompendo o cordão que tinha imposto ao Alternativa para Alemanha (AfD) e contradizendo o regulamento interno do partido, que o proibia.

O terramoto posterior levou pela frente o chefe da CDU na Turíngia, Mike Mohring, mas também a sua presidente federal, Kramp-Karrenbauer, delfim de Merkel, que foi incapaz de acabar com a crise e unificar o partido.