EFEBruxelas

A Comissão Europeia (CE) anunciou esta quarta-feira que vai destinar 123 milhões de euros ao apoio de investigações "urgentes" sobre novas variantes de coronavírus.

Os fundos, que provêm do programa científico comunitário Horizon Europe, fazem parte da "ação global" da Comissão "para prevenir, mitigar e responder aos efeitos das variantes, de acordo com o novo plano europeu de preparação da bio-defesa, a incubadora HERA".

"Continuamos a mobilizar todos os meios à nossa disposição para combater esta pandemia e resolver os desafios colocados pelas variantes do coronavírus", disse em comunicado a comissária europeia de Inovação, Investigação, Educação e Juventude, Mariya Gabriel.

Neste sentido, a Comissão Europeia lançou novas convocatórias "que complementam os esforços anteriores para desenvolver tratamentos e vacinas através da organização e realização de testes clínicos para avançar no desenvolvimento de tratamentos e vacinas promissoras contra o SARS-CoV-2/COVID-19".

Estes servirão para promover grupos e redes de SARS-CoV-2 em grande escala, tanto a nível regional como "mais além das fronteiras da Europa", que "deverão fazer avançar rapidamente o conhecimento sobre o SARS-CoV-2 e as suas variantes emergentes".

Além disso, Bruxelas pretende fomentar o desenvolvimento de mais tratamentos terapêuticos ou vacinas promissoras contra o coronavírus, acelerar a partilha de dados e fornecer suporte e experiência de investigação rápidos para enfrentar as variantes do SARS-CoV-2 e estar preparado para futuras epidemias.

"Estas chamadas de emergência irão abordar a ameaça a curto e médio prazo e, simultaneamente, preparar o futuro", acrescentou a Comissão Europeia, que está confiante de que estas iniciativas contribuirão para a criação da Autoridade Europeia de Preparação e Resposta a Emergências Sanitárias (HERA), o que permitirá à UE antecipar e enfrentar melhor potenciais pandemias no futuro.

As convocatórias para apresentações vão estar abertas desde 13 de abril a 6 de maio de 2021.