EFEVarsóvia

Cerca de 5.000 imigrantes chegaram à Europa no passado mês de abril, menos 19% que em março, embora Espanha seja uma exceção a esta descida, já que em abril viu as chegadas a dobrar, segundo informou hoje em comunicado a Frontex, a agência europeia de controlo das fronteiras exteriores.

O número de chegadas à Europa durante os quatro primeiros meses do ano ascende a 24.200 pessoas, o que significa uma descida de 27% em termos anuais, uma evolução ligada à queda de imigrantes que vão à Itália e Grécia.

Pelo outro lado, 900 imigrantes irregulares chegaram a Espanha em abril, o dobro de março, na sua maioria originais de Marrocos e da África Subsaariana.

Isto eleva a 6.300 o total de imigrantes que chegaram a Espanha durante os quatro primeiros meses de 2019.

A rota com destino a Itália, por sua vez, registou uma queda mensal de mais de 50%, e só 200 imigrantes chegaram em abril às suas costas.

Entre janeiro e abril deste ano chegaram a Itália menos de 900 imigrantes, 90% abaixo do mesmo período de 2018.

A Grécia também registou uma menor chegada de imigrantes, embora ainda representam mais de metade do total de imigrantes irregulares detetados nas fronteiras da UE em abril.

O número de imigrantes que foram à Grécia em abril foi de 2.940, menos 25% que em março.

Durante os primeiros quatro meses deste ano, o número total de detecções nesta região reduziu-se em 18% e ascende a cerca de 12.750 pessoas.

Um em cada quatro imigrantes detetados nas fronteiras gregas era oriundo do Afeganistão, geralmente chegando por mar, enquanto um em cada cinco era de nacionalidade turca, principalmente detetados ao tentar atravessar a fronteira terrestre entre a Grécia e a Turquia.