EFETóquio

As chuvas torrenciais estenderam-se esta quarta-feira ao centro do Japão, onde as autoridades decretaram a evacuação de mais de 200.000 pessoas, após terem deixado pelo menos 58 mortos no sudoeste do país desde o fim de semana.

Grande parte das regiões centrais do arquipélago japonês encontram-se esta quarta sob alerta meteorológico devido à passagem da tempestade, que produziu níveis de precipitação inéditos em várias décadas e graves danos materiais no sudoeste.

As províncias de Gifu e Nagano são as mais afetadas pelas chuvas torrenciais, o que levou hoje as autoridades japonesas a emitir um alerta meteorológico temporário e a recomendar a evacuação de cerca de 220.000 pessoas.

A precipitação acumulada desde o fim de semana em ambas províncias excedeu 800 milímetros em alguns locais, causando o transbordamento de rios, deslizamentos de terras e danos em muitas casas, estradas e pontes, embora até agora não tenham sido relatadas vítimas mortais.

Ao mesmo tempo, os esforços de busca e salvamento continuam na ilha meridional de Kyushu, a mais duramente atingida durante o fim de semana pela passagem da tempestade.

Pelo menos 58 pessoas morreram e 17 outras continuam desaparecidas na área, de acordo com os últimos dados recolhidos pela cadeia estatal japonesa NHK.

O Governo japonês planeia designar a região como afetada por um "desastre natural grave", o que lhe permitirá receber assistência financeira especial e urgente para financiar a reparação dos danos, disse hoje o ministro porta-voz Yoshihide Suga em conferência de imprensa.

A Agência Meteorológica japonesa prevê que a frente de chuvas torrenciais permaneça à volta do sudoeste do arquipélago durante os próximos dias, o que poderá deixar novamente chuvas fortes nas zonas mais atingidas pelas inundações.