EFEPequim

As autoridades de uma cidade do norte da China emitiram um alerta de saúde de nível 3, o segundo mais baixo da escala do país, após ter sido detetado um possível caso de peste bubónica, informa a imprensa oficial.

A Comissão Municipal de Saúde da cidade de Bayannur (na região setentrional da Mongólia Interior) revelou no domingo que um pastor da zona da Bandeira Média de Urad tinha sido internado num hospital local onde lhe foi diagnosticada a doença.

Por agora, o paciente permanece isolado no centro médico onde está a ser tratado, e permanece "estável".

O alerta de nível 3 será mantido até ao final deste ano para prevenir e controlar possíveis surtos de peste bubónica, de acordo com as autoridades locais.

Em comunicado, o Executivo municipal pediu aos cidadãos para serem mais cautelosos quanto ao risco de infeções de pessoa a pessoa, e exigiu também que não consumissem animais que pudessem causar o contágio desta doença.

Também solicitou que quaisquer casos suspeitos de peste fossem comunicados, sejam pacientes que desenvolvam uma febre alta sem razão aparente ou morram subitamente.

A Comissão Municipal de Saúde também pediu aos cidadãos que informassem se encontraram marmotas ou outros animais doentes ou mortos, e recordou que é proibido caçar animais que possam ser portadores da doença.

A menção específica às marmotas poderá estar relacionada com dois casos confirmados de peste bubónica na vizinha Mongólia na semana passada.

Nesse caso, dois irmãos foram hospitalizados após contraírem a doença depois de comerem carne de marmota.

Estes animais e outros pequenos mamíferos são portadores de pulgas infetadas pela bateria Yersinia pestis, o que causa tanto a peste bubónica como a peste pneumónica.

No caso da peste bubónica, os sintomas aparecem geralmente após um período de um a sete dias e, se não for tratada com antibióticos, tem uma taxa de mortalidade de 30 a 60 por cento.

Atualmente, os três países mais afetados, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), são Madagáscar, República Democrática do Congo e Peru.