EFEBarcelona (Espanha)

Científicos de Espanha e França alertam da rápida degradação dos ecossistemas marítimos, sobretudo nos últimos vinte anos, e da sua grave repercussão em todo o planeta.

Fizeram-no através do livro "Fuzileiro naval Animal Forest", editado por Springer-Nature, no qual abordam o novo conceito de "floresta animal" e lembram o importante papel dos mares e oceanos frente à alterações climáticas.

O livro proporciona uma visão geral dos ecossistemas do fundo do mar e explica que uma "floresta animal" esta formada pelas comunidades que residem no fundo do mar dominadas por corais, gorgonias, esponjas ou bivalves, que criam estruturas complexas que servem pela sua vez de lar a muitas novas espécies.

Os científicos pertencem ao Centro Nacional da Pesquisa Científica (CNRS) francês e aos espanhóis Instituto de Oceanografia (IEO) e o de Ciência e Tecnologia Ambiental (ICTA-UAB), da Universidade de Barcelona (UB).

Os autores denunciam que nos últimos anos o homem tem provocado mudanças drásticas e aceleradas nos ecossistemas marítimos, alterando a sua capacidade natural para absorver os crescentes níveis de CO2 da atmosfera.