EFECopenhague

Os colégios eleitorais da Islândia abriram neste sábado às 9h (horário local) para a realização de eleições antecipadas, os segundos num ano, nos quais as sondagens apontam para um triunfo do conservador Partido da Independência e para a ascensão da oposição de esquerda.

As urnas neste país do Atlântico Norte de quase 340.000 habitantes estarão abertas até as 22h.

As últimas pesquisas situam como vencedores os conservadores do primeiro-ministro Bjarni Benediktsson, que formou com duas forças centristas - o Partido Reformista e o Futuro Brilhante - o Executivo de maioria absoluta mais breve da história deste país nórdico, que durou apenas nove meses.

A coligação foi dissolvida há um mês e meio pelo Futuro Brilhante após descobrir-se que o chefe de governo tinha ocultado que o seu pai lhe tinha recomendado a "restituição da honra" - uma polémica figura legal abolida posteriormente pelo parlamento - de um amigo seu condenado anteriormente por pedofilia.

As previsões colocam este partido longe do patamar mínimo de 5%, razão pela qual o Partido da Independência - que ganhou todas as eleições, exceto as realizadas em 2009 após a pior crise do país em décadas - necessitaria do apoio de mais duas forças para formar um governo, previsivelmente o Partido Progressista e o Partido Centrista.