EFEParis

Os ministros das Finanças e do Orçamento de França, Bruno Le Maire e Gérald Darmanin, respetivamente, foram ameaçados de morte, após receberem uma carta que continha três balas de revólver e que foram precedidas por outras mensagens.

Fontes do gabinete de Le Maire confirmaram esta quarta-feira à Efe essas ameaças de morte, que tinham sido reveladas pelo site da revista francesa "Le Point".

De acordo com a reportagem, a última mensagem é uma carta manuscrita que chegou ao departamento de Economia e Finanças no qual trabalham os dois ministros no bairro de Bercy, em Paris.

Havia três balas de revólver coladas com o seguinte aviso: "São 9 milímetros, mas no solo serão 11,43", em alusão ao calibre dos cartuchos.

Não é a primeira vez os dois ministros recebem ameaças. No mês passado, por ocasião da cimeira do G7, na cidade francesa de Biarritz, a Gendarmeria da cidade vizinha de Baiona recebeu uma carta com uma referência direta à casa que Le Maire possui numa cidade próxima ao País Basco francês.

"A casa de Bruno Le Maire será pulverizada durante o G7 em Saint-Pee-sur-Nivelle", dizia a carta.

Já Gérald Darmanin também recebeu no ano passado cartas que continham injúrias e ameaças de morte. Os dois ministros decidiram denunciar os incidentes.

Nos últimos meses, num contexto político rarefeito, em particular com a crise dos "coletes amarelos", os escritórios de representação de vários deputados sofreram danos.