EFEKiev

O conselheiro do presidente da Câmara de Mariupol informou esta sexta-feira sobre a descoberta de uma nova vala comum com mais de cem corpos, e indicou que as exumações nesta cidade portuária ucraniana foram paralisadas definitivamente pelos russos.

"Tristes achados a cada semana. Uma nova vala comum sob os escombros na margem esquerda. Rua Kievskaya, 53. Mais uma vez, mais de cem corpos de pessoas desde finais de fevereiro", escreveu Petró Andryushchenko numa mensagem no Telegram noticiada pela agência Unian.

O conselheiro disse que "os invasores retiram os escombros das imediações e, de novo, não se fala em voltar a enterrá-los".

Além disso, garantiu que ainda existem pessoas em Mariupol a viver em 'bunkers', escondidas de bombardeamentos e ataques das forças russas.

"As exumações, na realidade, estão paralisadas. As autoridades de ocupação estão tão empenhadas em criar uma imagem de recuperação que não chegam a voltar a enterrar", denunciou.

"Os cemitérios improvisados, pouco a pouco, estão-se a tornar permanentes”, completou Andryushchenko.