EFEGenebra

Os vírus da gripe e o que provoca a covid-19 não partilham informações, pelo que a proliferação de casos de flurona (contágios com ambas as doenças ao mesmo tempo) não aumenta o risco do coronavírus evoluir para variantes mais perigosas, disse esta terça-feira em conferência de imprensa o epidemiologista Abdi Mahamud, da Organização Mundial da Saúde (OMS).

"São vírus de espécies completamente diferentes que usam recetores diferentes para infetar, e não há muita interação entre eles", explicou.

Mutações do coronavírus Sars-CoV-2 tendem a ocorrer especialmente em pessoas não vacinadas, nas quais o patógeno tem maior probabilidade de se replicar, acrescentou o especialista.

O principal objetivo para combater a propagação do coronavírus deve continuar a ser "vacinar todos para que as hipóteses de mutação sejam reduzidas".

Mahamud considerou normal o surgimento de mais casos de flurona do que na estação anterior, devido ao maior relaxamento em muitas sociedades em relação à pandemia e à redução nas vacinações contra a gripe em alguns países.