EFEHong Kong

Um episódio da série de animação Os Simpsons no qual a família viaja a Pequim e que contém várias referências ao massacre de Tiananmen, tema que as autoridades chinesas censuram de maneira sistemática, desapareceu da plataforma Disney+ caso se acede desde Hong Kong, constatou hoje a Agência Efe.

O capítulo é o número 12 da décima-sexta temporada da popular série de animação e, caso se vá à referida plataforma de reprodução de vídeo online desde Hong Kong, o episódio 11 salta para o 13.

Durante a sua visita à capital chinesa, a família Simpson vai ao mausoléu de Mao, onde o ex-dirigente chinês se encontra embalsamado, em plena praça de Tiananmen, centro dos protestos no pós abertura política e contra a corrupção que o Exército de Libertação Popular reprimiu de maneira sangrenta na madrugada de 4 de junho de 1989.

No episódio também aparece uma imagem de uma placa na icónica praça de Pequim onde se lê: "Praça de Tiananmen. Neste lugar, em 1989, não aconteceu nada".

São também feitas referências às imagens do "homem do tanque", uma pessoa que na manhã de 5 de junho de 1989 parou frente aos tanques que estavam no local.

Embora certos setores da população chinesa conheçam alguns detalhes sobre aquele funesto episódio histórico, este está fortemente censurado pelas autoridades, e os poucos familiares de vítimas que ainda se atrevem a exigir justiça, lembrança e reparos deparam-se frequentemente com o aparelho repressor chinês.