EFESydney (Austrália)

A erupção no passado sábado do vulcão submarino Hunga Tonga Hunga Tem'apai, a 65 quilómetros ao norte de Nuku'alofa, a capital de Tonga, foi uma das mais violentas jamais registadas nos últimos trinta anos no planeta, assinalaram esta segunda-feira fontes científicas.

A enorme erupção do Hunga Tonga Hunga Tem'apai, um vulcão com uma ampla história de atividade e localizado entre dois ilhéus -que às vezes ficam unidos pela cinza acumulada entre ambos-, conseguiu ser ouvido a centenas de quilómetros de distância, enquanto as suas cinzas e vapor foram lançadas a uma altura de aproximadamente 20 quilómetros.

A nuvem de fumo lançada pelo vulcão Hunga Tonga Hunga Tem'apai, que provocou um tsunami, teve um diâmetro de 260 quilómetros que foi observado desde os satélites na órbita terrestre.

"A grande e explosiva extensão lateral da erupção sugere que provavelmente foi a maior desde a erupção do (Monte) Pinatubo (a 13 de junho) 1991", disse Shane Cronin, vulcanólogo da Universidade de Auckland, à Rádio New Zealand.

Na altura, o Monte Pinatubo expulsou uma nuvem de fumo e cinza até uma distância superior a vinte quilómetros de altitude, bem como uma chuva de lava sobre os três rios que o rodeiam.

Cronin explicou que os dados preliminares da atividade de sábado do Hunga Tonga Hunga Tem'apai sugerem que o índice de Explosividade Vulcânica (IEV), que mede a magnitude da erupção, pode chegar a cinco numa escala de oito, enquanto a do Monte Pinatubo foi de seis.

O vulcanólogo precisou que uma erupção de IEV de cinco não acontece mais que um par de vezes numa década.