EFESalamanca (Espanha)

Espanha vai contar em agosto com novas 3,4 milhões de doses da vacina da Pfizer, mais do que o previsto, o que permitirá antecipar para esse mês o objetivo de ter 70% da população vacinada, segundo as previsões do Governo espanhol.

O presidente do Executivo espanhol, Pedro Sánchez, fez hoje este anúncio durante a sua intervenção antes da reunião de presidentes regionais realizada na cidade de Salamanca (noroeste de Espanha).

Segundo indicou Sánchez, o Ministério da Saúde fechou esta quinta a aquisição dessas 3,4 milhões de novas doses da Pfizer, o que elevará de 13 a 16 milhões o total de vacinas que poderão ser administradas em agosto.

Sánchez ressaltou que isso demonstra o "compromisso" do Governo de Espanha e das regiões do país em acelerar o processo de vacinação, que atualmente se encontra em 56% da população espanhola com o calendário completo.

Numa conferência de imprensa oferecida na quinta-feira para fazer um balanço do ano político e da gestão do seu Executivo antes das férias de verão, Sánchez deu a "medalha de ouro" a Espanha devido às altas taxas de vacinação, que a colocam entre os cinquenta primeiros países do mundo neste âmbito.

Contudo, além de ter pedido "não baixar a guarda" e prudência na quinta vaga da pandemia no país, o líder socialista admitiu que a aparição da variante delta do coronavírus, mais transmissível que as restantes, dificultava o objetivo inicial de chegar a 70% de vacinados em finais de agosto.

Apesar disso, Pedro Sánchez enfatizou o nível de vacinação conseguido por Espanha, lembrando que tal tem repercussões na recuperação económica e do emprego.