EFEWashington

Os Estados Unidos autorizaram o envio de mais 2.100 militares para a fronteira com o México, elevando para 6.600 o número de soldados que atuam na região para conter a imigração ilegal.

O Pentágono confirmou à Efe a decisão tomada pelo secretário interino da Defesa, Richard Spencer, que autorizou esta quarta-feira o envio de mais 1.100 integrantes das Forças Armadas e 1.000 agentes da Guarda Nacional do Texas para a fronteira sul do país.

Segundo o Governo americano, as tropas vão chegar nas próximas semanas e ajudar nos trabalhos de vigilância aérea. Além disso, os homens prestarão apoio operacional, logístico e administrativo à Agência de Proteção Alfandegária e Fronteiras dos EUA (CBP).

Atualmente, 2.500 membros das Forças Armadas e 2.000 agentes da Guarda Nacional trabalham na fronteira.

O envio de mais homens da Guarda Nacional do Texas para a região já tinha sido antecipado pelo governador do estado, o republicano Greg Abbott, que recebeu no início do mês o pedido formal do Departamento de Segurança Nacional por mais agentes.

A chegada de imigrantes, a maior parte procedente da América Central, cresceu nos últimos meses. Segundo a CBP, 95.000 pessoas foram detidas ou se entregaram aos agentes em junho.

O envio de agentes da Guarda Nacional para a fronteira começou depois do presidente dos EUA, Donald Trump, ter declarado emergência nacional para combater a imigração.