EFEBuenos Aires

O ex-presidente da Argentina, Fernando de la Rúa, morreu esta terça-feira em Buenos Aires, poucas horas depois de ter sido hospitalizado, segundo confirmou o atual governante do país, Mauricio Macri.

"Lamento o falecimento do ex-presidente Fernando de la Rúa. A sua trajetória democrática merece o reconhecimento de todos os argentinos. Acompanhamos a sua família neste momento", escreveu Macri na sua conta do Twitter.

De la Rúa, de 81 anos, presidente entre 1999 e 2001, tinha sido hospitalizado "em estado muito delicado" no Instituto Fleni da cidade de Escobar, na província de Buenos Aires, segundo pessoas próximas ao político.

O ex-presidente, que se viu forçado a demitir durante a pior crise económica, política e social da história contemporânea da Argentina, já tinha sido internado este ano em estado grave por problemas cardiorrespiratórios que agravaram doenças cardiovasculares anteriores.

Os problemas cardíacos do ex-governante vinham de longe, já que em 2018 foi submetido a uma angioplastia após um enfarte do miocárdio e em 2014 a outra por obstruções arteriais.

Nascido em Córdoba a 15 de setembro de 1937, De la Rúa formou-se em Direito aos 21 anos e, ligado ao partido União Cívica Radical (UCR), assumiu o cargo de senador em 1973.

Nesse mesmo ano foi candidato à vice-presidência da República, mas acabou derrotado pela candidatura liderada por Juan Domingo Perón.

Legislador até 1976, quando os militares deram o golpe de Estado que desencadeou a última ditadura argentina, que se estendeu até 1983, De la Rúa desenvolveu já novamente em democracia uma intensa carreira política como deputado, senador e autarca de Buenos Aires.

A sua carreira chegou ao ponto mais alto a 10 de dezembro de 1999, ao ser eleito presidente do país e suceder ao peronista Carlos Menem (1989-1999) para um mandato de quatro anos.

No entanto, no final de 2001, no meio da grave crise na qual o país estava submerso, com o chamado "corralito" e trágicas revoltas nas ruas, De la Rúa acabou por se demitir e abandonar a sede do governo de helicóptero, numa imagem que deu a volta ao mundo.