EFEHong Kong

Um estudante encontrado ferido na noite de domingo, numa área próxima de onde aconteciam protestos populares na região central de Hong Kong, morreu esta sexta-feira, segundo a emissora pública de televisão "RTHK".

O jovem, identificado como Chow Tsz-lok, de 22 anos e estudante na Universidade de Ciência e Tecnologia, estava em coma e em estado crítico desde que foi localizado.

Segundo o jornal South China Morning Post, o estudante caiu do terceiro para o segundo andar de um edifício da região central. As informações da publicação apontam que as câmaras de segurança do local não gravaram o momento da queda.

Também não há informações se Tsz-lok estava a participar na manifestação e qual o motivo para estar no prédio.

A "RTHK" aponta que a polícia disparou gás lacrimogéneo na região e que, se isso tiver ligação com a morte do estudante, seria a primeira morte num protesto relacionada com a ação da polícia.

As autoridades locais, no entanto, já negaram qualquer relação com o caso envolvendo o universitário.

"Há acusações de que oficiais de polícia perseguiram o homem antes da sua queda. Precisamos afirmar que isso é totalmente falso", afirmou Suzette Foo, superintendente da polícia do Distrito Central.

A representante da corporação garantiu que a morte de Tsz-lok será investigada com rigor.

O reitor da Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong, Wei Shyy, por sua vez, denunciou que, nas imagens que teve acesso, uma ambulância ficou bloqueada por carros da polícia nos arredores de onde o jovem caiu, o que atrasou o resgate em 20 minutos.