EFEParis

França quer que o Reino Unido mude as suas regras de solicitação de asilo, já que considera que a obrigação de o fazer desde solo britânico é uma incitação para que os migrantes atravessem de forma irregular o Canal da Mancha, com o risco de se sucederem novos dramas no mar.

"O Reino Unido deve abrir um acesso legal de imigração", assinalou esta segunda-feira o ministro francês da Administração Interna, Gérald Darmanin.

Darmanin, numa entrevista ao canal BFMTV, voltou a responsabilizar o mercado de trabalho britânico, que é muito permissivo com as pessoas sem papéis, de constituir um efeito chamada para os migrantes que arriscam e cruzam o Canal da Mancha.

O ministro francês mostrou a sua disposição de "discutir" o assunto com a sua homóloga britânica, Priti Patel, à qual revogou o convite para participar no passado domingo em Calais numa reunião com outros ministros europeus sobre a crise migratória depois da morte na passada quarta-feira de 27 deles devido ao naufrágio do barco no qual tentavam chegar à costa inglesa.

Mas sob "a condição de que tenhamos uma relação normal", algo que não tem acontecido nos últimos tempos, já que "os discursos privados" que mantêm com os responsáveis britânicos "não são sempre conforme com os discursos públicos".

O ministro da Administração Interna referiu-se especificamente à carta dirigida a Emmanuel Macron que o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, publicou nas redes sociais sem ter comunicado anteriormente ao presidente francês, e na qual pedia a França que aceitasse a devolução de todos os migrantes sem papéis que chegassem irregularmente à costa inglesa.

Esta manhã, o ministro francês da Administração Interna foi convocado por Macron para participar num Conselho de Defesa no qual deve ser abordado o problema da imigração que coloca Paris em confronto com Londres.

Darmanin salientou que enquanto França recebeu este ano 150.000 pedidos de asilo, o Reino Unido apenas recebeu 30.000. Também disse que muitos migrantes que têm intenção de cruzar o Canal da Mancha de forma clandestina não querem solicitar asilo em França.

Segundo os seus próprios dados, 60% dos que se lançam ao mar para essa travessia estão aptos para obter asilo no Reino Unido, mas o problema é que essa solicitação apenas pode ser formalizada em solo britânico, daí o seu interesse em chegar, mesmo correndo perigos.