EFEParis

França quer que a reunião de ministros dos Negócios Estrangeiros da UE desta terça-feira sirva para trabalhar em critérios comuns para determinar quais os países em risco de covid e estabelecer assim medidas de proteção para os viajantes dessa procedência.

"Este critério deve ser europeizado o mais rapidamente possível" para evitar que os viajantes contornem os controlos num país da União Europeia desde outro, explicou o Secretário de Estado francês para os Assuntos Europeus, Clément Beaune, em declarações à estação de rádio France Info.

Beaune disse que, por iniciativa de França, esta questão deve ser abordada hoje na reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros, e insistiu que os critérios devem ser baseados em razões científicas.

O Secretário de Estado recordou que França decidiu impor quarentenas aos viajantes do Brasil, Argentina, Chile e África do Sul, bem como aos da Guiana Francesa, devido ao risco das variantes em circulação.

Estas quarentenas de dez dias serão aplicáveis a partir do próximo sábado, uma vez que as disposições legais estejam em vigor. Uma ordem da região concreta irá obrigar cada viajante a permanecer em isolamento no endereço da sua escolha e haverá controlos policiais e multas de 1.500 euros, ou 3.000 euros em caso de reincidência, para os que não cumprirem.

Até lá, os voos do Brasil para França ficam suspensos como medida de precaução.

Perguntado por que razão não foi planeada a mesma quarentena para a Índia, que está a viver uma explosão de novos contágios com variantes que alguns cientistas consideram inquietantes, o Secretário de Estado disse precisamente porque querem objetivar os critérios para os países em risco.

E à questão de saber se prevaleceram razões económicas para não incluir a Índia na lista de outros países, a sua resposta foi que "nenhuma consideração económica ou diplomática prevalecerá sobre a saúde".