EFEBeirute

Um comboio humanitário entrou hoje na região síria de Ghouta Oriental, o principal bastião opositor dos arredores de Damasco, após a recente escalada de violência nesta região que causou centenas de mortes.

Nove camiões com ajuda para 1.400 famílias entraram em Al Nashabieh, em Ghouta Oriental, segundo disse à Agência Efe por telefone a porta-voz do Crescente Vermelho na Síria, Mona Kurdy.

O envio de assistência foi organizado por essa organização e a ONU, cujo Escritório de Coordenação Humanitária (OCHA) confirmou no Twitter que o comboio cruzou "as linhas de conflito" em Al Nashabieh para distribuir comida e provisões médicas para 7.200 pessoas.

Al Nashabieh está sob o controlo da facção islamita armada Exército do Islão.

Este é o primeiro comboio humanitário que entra em Ghouta Oriental desde o final de outubro do ano passado.

Segundo dados da ONU, cerca de 400.000 pessoas estão presas no cerco em Ghouta Oriental, rodeada pelas forças governamentais sírias.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos lembrou hoje que na região há mais de 720 doentes que precisam de ser retirados imediatamente para receber tratamento.

A última evacuação de pacientes e feridos dessa área aconteceu no final de dezembro.

A chegada do comboio a Ghouta Oriental acontece depois de na última semana centenas de pessoas terem morrido devido ao aumento dos bombardeamentos e disparos de artilharia.

No início deste mês, a ONU pediu uma pausa humanitária de pelo menos 30 dias no conflito para poder assistir centenas de milhares de sírios em áreas cercadas ou de difícil acesso e para evacuar feridos e doentes.