EFEAtenas

O primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, anunciou esta terça-feira que a partir de janeiro todas as pessoas com mais de 60 anos deverão vacinar-se obrigatoriamente contra a covid-19 e, caso não o cumprirem, irão receber uma multa de 100 euros.

"A partir de 16 de janeiro todos os maiores de 60 anos deverão ter pelo menos agendado para receber a primeira dose da vacina. Os que não o façam deverão pagar uma multa de cem euros", assinalou Mitsotakis durante o Conselho de Ministros.

O primeiro-ministro grego acrescentou que o dinheiro arrecadado com estas multas será destinado a um fundo especial para financiar os hospitais públicos.

O líder conservador justificou a medida com as dificuldades enfrentadas pela saúde pública com o crescente número de hospitalizações, na sua maioria pessoas com alguma idade e não vacinadas.

Apesar de uma melhoria no ritmo de vacinação nas últimas semanas, das 580.000 pessoas acima de 60 que continuam sem vacinar, "lamentavelmente só 60.000" o fizeram em novembro, disse Mitstotakis, acrescentando que são as pessoas desta idade que precisam de tratamento hospitalar.

A quarta vaga da pandemia colocou novamente o sistema de saúde público grego contra as cordas, com muitas unidades de covid já completas ou no limite da capacidade.

Mitsotakis deu o caso de Portugal como exemplo positivo, apontando que a taxa de vacinação lusa nos maiores de 60 anos está nos 98%, pelo que "a ocupação das UCI e as perdas são mínimas".

"Pelo contrário, na Grécia, e apesar do grande esforço que todos temos feito, a taxa de vacinação nestas idades continua a rondar 83%", lamentou.