EFEBudapeste

O polémico psicólogo e autor canadiano Jordan Peterson, considerado um ícone da extrema-direita, foi condecorado com a Cruz da categoria de Oficial da Ordem do Mérito da República da Hungria.

Num decreto publicado esta quarta-feira no Diário Oficial do país centro-europeu, a presidente húngara, Katalin Novák, destacou o trabalho "científico" do premiado.

O decreto aponta que o galardão se deve ao "seu destacado trabalho científico no campo da psicologia clínica e pela sua liberdade criativa, assim como em reconhecimento do seu trabalho excecionalmente dedicado e influente na defesa da liberdade de expressão e na educação dos jovens".

O jornal digital Telex recorda que Peterson é muito popular entre os grupos de direita e próximos ao Governo do primeiro-ministro húngaro, o ultranacionalista Viktor Orbán, e que já participou em eventos organizados por estes.

O psicólogo é uma figura muito popular entre jovens de direita de todo o mundo devido às suas críticas às posturas esquerdistas e ao liberalismo, acrescenta o Telex.

Peterson publicou vários livros, entre eles "12 regras para a vida", com os quais conseguiu sucesso internacional.

Orbán e Peterson coincidem, entre outros temas, na rejeição do pensamento liberal sobre género.

Novák foi ministra da Família no Governo de Orbán até 2021, durante o qual foi anfitriã de eventos como a "Cimeira Demográfica", um encontro de políticos conservadores de todo o mundo.