EFENova Deli

A Índia ultrapassou esta terça-feira os 20 milhões de contágios por coronavírus desde o início da pandemia, ao registar 357.229 novos casos nas últimas 24 horas, no meio de uma violenta segunda vaga que colocou o sistema de saúde da nação asiática no limite.

O país também registou 3.449 mortes em 24 horas, elevando o número total para 222.408, de acordo com os últimos dados do Ministério da Saúde indiano, um número oficial que, segundo muitos especialistas, poderá na realidade ser mais elevado.

Os novos números representam uma queda pelo terceiro dia consecutivo no número de infeções, mas não de mortes, depois de o país asiático ter passado a marca dos 400.000 positivos pela primeira vez no sábado.

A Índia continua a ser o segundo país mais afetado pela pandemia no mundo em termos absolutos, atrás dos Estados Unidos, com 32,4 milhões de contágios, de acordo com as estatísticas da Universidade Johns Hopkins.

O país asiático está imerso numa vertiginosa segunda vaga do vírus, que não para de crescer desde fevereiro passado e levou o seu sistema de saúde ao limite, com escassez de oxigénio e camas em grandes cidades como Nova Deli.

Mais de 40 países começaram a enviar ajuda para a Índia para cooperar na luta contra a pandemia, incluindo ventiladores e equipamento médico, bem como geradores de oxigénio, cilindros, concentradores e reguladores.

O aumento de casos tem sido atribuído no país a um relaxamento das medidas contra o coronavírus por parte da população e à organização de grandes eventos, tais como enormes comícios eleitorais no âmbito de várias eleições regionais ou o festival religioso Kumbh Mela, a maior e uma das mais antigas congregações religiosas do mundo.

A variante indiana "duplo mutante" B.1.617 e outras estirpes podem também estar por detrás do súbito aumento de casos no país, embora neste momento os virologistas tenham assinalado que existe uma falta de dados para apoiar esta teoria.