EFEMadrid

As infantas Elena e Cristina, irmãs do rei de Espanha Felipe VI, confirmaram numa mensagem publicada por vários meios de comunicação que se vacinaram contra o coronavírus nos Emiratos Árabes Unidos durante uma visita ao seu pai, o rei emérito Juan Carlos I.

No comunicado que a infanta Elena de Borbón enviou a vários meios de comunicação depois de se conhecer que tinham tomado a vacina em Abu Dhabi na segunda semana de fevereiro, como publicou o jornal El Confidencial, explica-se que o fizeram para que pudessem obter um passaporte sanitário e poder assim visitar o seu pai com regularidade.

"A fim de termos um passaporte sanitário que nos permitisse fazê-lo regularmente, foi-nos oferecida a possibilidade de nos vacinarmos, com o qual concordámos. Se não fosse esta circunstância, teríamos acedido ao turno de vacinação em Espanha quando este nos correspondesse", esclarece a irmã mais velha de Felipe VI.

A infanta Elena, de 57 anos, vive em Madrid, enquanto a infanta Cristina, 55 anos, reside em Genebra (Suíça).

Além das infantas, o rei Juan Carlos, que vive nos Emirados Árabes Unidos desde 3 de agosto devido à controvérsia sobre os seus alegados negócios ocultos no estrangeiro, e o antigo diretor do Centro Nacional de Inteligência espanhol Félix Sanz Roldan, que o visitou há algumas semanas, também foram vacinados no país árabe.

A notícia sobre a vacinação das infantas gerou críticas de alguns ministros, como o vice-presidente do Governo espanhol, Pablo Iglesias, e o de Política Territorial, Miquel Iceta, por considerarem que as irmãs do rei foram imunizadas antes do tempo.

A Casa Real informou esta terça-feira que Felipe VI "não é responsável pelas ações das suas irmãs" e que tanto ele como a rainha Letizia e as suas filhas, a princesa Leonor e a infanta Sofia, serão vacinadas "quando lhes corresponder".