EFELos Angeles (EUA)

Após classificar um vídeo partilhado por Madonna que defende o uso da hidroxicloroquina no tratamento para a COVID-19 como notícias falsas, a rede social decidiu esta quarta-feira apagar a publicação do perfil da cantora.

A artista afirmava na legenda da publicação que existia um tratamento eficaz para a doença há meses, mas que "algumas pessoas não querem ouvir a verdade, principalmente as que estão no poder".

O vídeo mostra Stella Immanuel, pediatra conhecida por apoiar várias teorias de conspiração e que já tinha relacionado patologias com sexo com demónios e bruxas, além de defender que as pessoas não utilizem máscaras.

Antes, o filho de Donald Trump, Donald Trump Jr, teve o seu perfil no Twitter bloqueado por 12 horas por ter divulgado o mesmo vídeo, cujo conteúdo não corrobora com estudos clínicos sobre a hidroxicloroquina.

O próprio presidente americano mencionou na terça-feira as declarações de Immanuel em conferência de imprensa, ao ser questionado sobre o histórico de afirmações da médica.

Trump, inicialmente, elogiou as palavras de Immanuel, mas depois de ser interpelado por um jornalista sobre as afirmações do vídeo, que repudiam o uso de máscaras e dizem que o ADN alienígena é usado para medicamentos, o presidente comentou que "talvez fosse uma maneira de se expressar".

"Imaginei que a sua voz fosse importante, mas não sei nada sobre ela", admitiu Trump.

Após marcar como "desinformação" o conteúdo partilhado por Maddona, o Instagram decidiu apagar a publicação por "fazer afirmações falsas sobre curas e métodos de prevenção para a COVID-19", revelou um porta-voz da rede social à revista "Billboard".