EFETeerão

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Mohammad Javad Zarif, destacou esta sexta-feira os esforços do seu país nos últimos anos e acusou os Estados Unidos de estarem mais preocupados com os ataques ao petróleo do que com a guerra no Iémen.

Zarif, como habitual, recorreu ao Twitter para expôr "as iniciativas diplomáticas" levantadas recentemente pelo Irão na busca por uma solução para as crises regionais.

Isso inclui o Plano de Paz da Síria de 2013, o Plano de Paz do Iémen de 2015, o Processo de Astana de 2017 e o Pacto Regional de Não Agressão proposto este ano.

Dessa maneira, Zarif respondeu ao comentário de ontem do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, de que o seu país quer "uma solução pacífica" para a atual crise no Golfo Pérsico, assim como construir uma coligação que "procura conseguir a paz".

Pompeo passou os últimos dois dias na Arábia Saudita e nos Emirados Árabes Unidos, que coincidentemente anunciaram que se juntaram à coligação que os EUA tentam formar para proteger a navegação no Golfo Pérsico, visto como uma iniciativa para pressionar ainda mais o Irão.

Durante a sua viagem, Pompeo recolheu informações sobre os ataques do último final de semana contra centrais da companhia petrolífera saudita Aramco para avaliar a resposta dos EUA.

A Casa Branca vai estudar hoje opções militares contra o Irão, que alertou, por sua vez, que irá responder em caso de ataque.