EFETeerão

As autoridades do Irão criticaram esta terça-feira o plano de paz para o Médio Oriente dos Estados Unidos, afirmando que procura "humilhar" os muçulmanos e que "está morto" antes mesmo de ser colocado em prática.

"Dando uma vista rápida nas medidas americanas, pode-se entender que eles elaboraram um plano mais amplo para humilhar todos os muçulmanos com a 'fraude do século'", disse o presidente do Parlamento iraniano, Ali Larijani.

Como Larijani enfatizou durante uma sessão aberta do Parlamento, "essa ousadia é o resultado da divisão entre os países muçulmanos".

"O regime sionista e os Estados Unidos vão entender em breve as consequências da sua medida", acrescentou.

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Mohammad Javad Zarif, também condenou o plano de paz ontem à noite na sua conta no Twitter, que descreveu como "ilusório" e disse que "está morto antes de chegar".

A liderança palestiniana não tem contato com os EUA desde que Trump reconheceu Jerusalém como a capital de Israel, em 2017, e alertou a Washington e Israel "para não cruzar as linhas vermelhas".

No entanto, Trump disse ontem que esperava que, uma vez superada a sua rejeição inicial, os palestinianos "apoiem" a sua iniciativa, prevendo que irão "acabar por negociar" com ele.