EFETeerão

O Irão anunciou esta segunda-feira que emitiu uma ordem de detenção, sobre a qual já notificou a Interpol, contra o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e outras 35 pessoas, pelo assassinato em janeiro do poderoso general iraniano Qasem Soleimani.

O procurador Ali Alqasimehr afirmou que os 36 acusados são "responsáveis político-militares dos Estados Unidos e também de outros países", pelo que irão responder pelo crime de assassinato do general, morto durante um bombardeamento executado pelos EUA, em Bagdad, no Iraque, no início de janeiro deste ano, e terrorismo.

A ordem de detenção foi encaminhada para a Interpol com a solicitação de que seja dado um alerta vermelho, segundo aponta a agência de notícias oficial "IRNA".

Se a classificação for acatada, com o mais alto nível de vigilância, as forças de segurança de todo o mundo deverão tentar localizar e deter preventivamente os alvos da medida, que aguardarão uma eventual extradição.

Alqasimehr revelou apenas a identidade de Trump, e garantiu que vai procurar o julgamento do presidente dos EUA mesmo depois de terminar o seu mandato como governante.

No entanto, é pouco provável que a Interpol aceite o pedido do Irão, já que as suas normas impedem que seja "empreendida qualquer intervenção ou atividade de natureza política".