EFELondres

O número de mortos por COVID-19 no Irão foi quase o triplo do valor contribuído pelo Governo desse país, segundo uma investigação do serviço persa da cadeia BBC.

Os registos das autoridades iranianas indicam que quase 42.000 pessoas perderam a vida por causa do coronavírus até ao último 20 de julho, frente às 14.405 comunicadas pelo Governo.

Além disso, o número de pessoas infetadas no Irão foi quase o dobro da quantidade divulgada pelo Governo (451.024 frente a 278.827), de acordo com os registos médicos facilitados à BBC.

À parte da China, o Irão tem sido um dos países mais castigados do mundo pela pandemia da COVID-19, e nas últimas semanas tem sofrido um segundo surto do vírus.

Segundo a emissora britânica, desde o início da pandemia no Irão, muitos especialistas colocaram em dúvida os dados oficiais, enquanto houve supostamente irregularidades nos dados facilitados a nível nacional e regional.

Embora muitos países tenham tido problemas para contabilizar os infetados, a informação recebida pela BBC -através de uma fonte anónima- revela que as autoridades iranianas deram a conhecer um número diário de casos bem mais baixo do que o real, apesar de que possuírem todos os dados de mortos, o que sugere uma tentativa deliberada de não os dar a conhecer.

A informação à qual a BBC teve acesso inclui a quantidade de admissões diárias em hospitais, os nomes das vítimas, os sintomas e dados sobre o tempo de hospitalização.

A fonte indicou que decidiu partilhar a informação com a BBC para dar a conhecer a verdade do que se passa no Irão e para terminar com os "jogos políticos" sobre a pandemia, acrescenta a emissora.

A BBC ressalta que não conseguiu verificar se esta fonte trabalha para algum departamento do Governo iraniano e como conseguiu acesso a estes dados.

Os casos no Irão têm aumentado pela primeira vez desde finais de maio, depois do Governo começar a suavizar as medidas de confinamento.