EFEJerusalém

Israel começou esta sexta-feira a aplicar uma terceira dose da vacina contra o coronavírus a adultos com mais de 60 anos, procurando deste modo travar o avanço da variante delta, que colocou o país em alerta.

O presidente israelita, Isaac Herzog, foi um dos primeiros a receber o reforço da vacina da Pfizer, disponível há algumas semanas para adultos imunodeprimidos e agora também para maiores de 60 anos que receberam a segunda dose há pelo menos cinco meses.

"A única forma em que podemos derrotar a covid é juntos. Juntos significa partilhar informação. Juntos significa partilhar métodos, tecnologias, conhecimentos e ações práticas. Israel está aberta a partilhar toda a informação que possamos obter desta valente decisão. Vamos ganhar, mas juntos", disse o primeiro-ministro israelita, Naftali Benet, durante o ato da inoculação de Herzog.

A decisão de vacinar a população com uma terceira dose chega num contexto de crescente preocupação no país, onde os contágios aumentam diariamente há várias semanas, registando esta semana números acima de 2.000.

Atualmente existem mais de 16.000 casos ativos, 167 deles em estado grave.

Depois de uma veloz campanha de vacinação no começo do ano, Israel foi um dos primeiros países a voltar à normalidade graças à imunização da maioria da sua população, mas a propagação da variante delta levou as autoridades a impor algumas das restrições que tinham sido eliminadas.