EFETóquio

O Japão anunciou esta quinta-feira que confirmou mais 44 contágios a bordo do cruzeiro em quarentena nas suas águas e decidiu autorizar o desembarque de certos idosos de 80 anos e doentes crónicos com resultados negativos para que finalizem o isolamento em terra.

Com estes 44 são já 218 os casos detetados no cruzeiro Princess Diamond, cujos cerca de 3.700 passageiros (entre viajantes e tripulação) foram colocados em quarentena no passado 3 de fevereiro em águas frente ao porto da cidade de Yokohama, ao sul de Tóquio, depois de se conhecer que um passageiro que tinha desembarcado em Hong Kong era portador do vírus.

Na sua conferência de imprensa diária para transmitir os resultados a bordo, o ministro da Saúde do Japão, Katsunobu Kato, detalhou que estes positivos se englobam nos exames feitos a 221 pessoas.

Tendo em conta os aproximadamente trinta casos detetados em terra, o Japão confirmou já 247 afetados pelo coronavírus sob a sua jurisdição, o maior número fora da China, onde os infetados rondam os 60.000. Destes, mais de 1.300 faleceram.

O Ministério da Saúde também anunciou a sua decisão de autorizar o desembarque dos maiores de 80 anos com problemas de saúde subjacentes cujos quartos não tenham janela (ou não se abre) e doentes crónicos no geral que dêem negativo nas provas do vírus e aceitem terminar o período de quarentena em instalações designadas pelo Governo.

Dos 2.666 passageiros que se encontravam a bordo do navio ao início da quarentena (os que deram positivo já foram enviados a centros hospitalares), 226 têm mais de 80 anos.

As autoridades japonesas pediram aos passageiros do cruzeiro que ficassem no interior dos seus quartos durante o período de quarentena decretado, que termina na próxima quarta-feira, dia 19.