EFETóquio

O Japão registou em 2021 um mínimo histórico de nascimentos, 811.604 bebés, informou esta sexta-feira o Governo, um novo dado que reflete a tendência do envelhecimento demográfico do país e a redução da natalidade durante a pandemia.

No ano passado foram notificados menos 29.231 nascimentos que em 2020, até chegar ao menor número documentado até ao momento desde que o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-estar japonês começou a contabilizar estes dados em 1899.

A média de filhos por mulher no ano passado ficou em 1,3, o que representa uma diminuição de 0,03 pontos.

Estes novos dados estão em linha com os últimos dados sobre população infantil publicados pelas autoridades no âmbito da celebração nacional do Dia da Criança no passado 5 de maio, que mostraram que este grupo demográfico está em mínimos.

O número de crianças com menos de 15 anos residentes no Japão a 1 de abril, quando começou o seu novo ano fiscal, era de 14,65 milhões. Deles, 2,51 milhões eram menores de 2 anos.

Também se publicaram esta sexta os dados de novos casais. Em 2021 houve 501.116 núpcias no Japão, menos 24.391 que no ano anterior e o nível mais baixo depois da Segunda Guerra Mundial.

Esta tendência em baixa está a gerar preocupação devido ao evidente envelhecimento demográfico do país e a sustentabilidade do sistema nacional de pensões neste cenário.