Madrid, 1 ago (EFE) - Passou um ano desde que o rei emérito de Espanha, Juan Carlos I, decidiu deixar o país temporariamente devido à polémica causada pelas notícias sobre os seus alegados negócios irregulares no estrangeiro e, embora não haja indicações sobre quando irá regressar, o seu desejo é fazê-lo assim que as circunstâncias surjam.

"Está realmente ansioso por regressar", disseram fontes próximas do rei emérito à EFE, que destacaram ainda o seu desejo de pôr fim à sua estadia em Abu Dhabi, a capital dos Emirados Árabes Unidos.

Juan Carlos partiu secretamente de Vigo (Galiza, noroeste de Espanha) num avião privado a 3 de agosto.

Horas mais tarde, a Casa Real Espanhola publicou a carta enviada ao seu filho, o rei Felipe VI, na qual lhe comunicava a sua "decisão ponderada" de se mudar "neste momento para fora de Espanha" devido às repercussões públicas de "certos acontecimentos passados" da sua vida privada. Duas semanas depois, foi revelado o seu paradeiro no país árabe.

De acordo com fontes, o rei emérito de 83 anos está "tranquilo" e esperançoso de poder regressar a Espanha, onde reinou durante 39 anos até abdicar para o seu filho em junho de 2014.