EFEEstrasburgo (França)

O presidente de França, Emmanuel Macron, propôs esta quarta-feira que o direito ao aborto ganhe uma melhor proteção na União Europeia através da sua inclusão na Carta dos Direitos Fundamentais do clube comunitário.

Frente ao plenário do Parlamento Europeu em Estrasburgo, onde apresentou as prioridades da presidência francesa do Conselho da União Europeia para este semestre, Macron sugeriu esta reforma para um documento proclamado inicialmente em dezembro do ano 2000.

"Devemos usar a Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia para proteger o clima e reconhecer o direito ao aborto", disse Macron aos eurodeputados, que esta terça-feira elegeram um novo presidente do PE, Roberta Metsola, procedente de Malta, onde o aborto está proibido em qualquer circunstância.