EFEMadrid

Uma segunda grande morgue começou esta terça-feira a funcionar em Madrid para acolher as vítimas da pandemia de coronavírus nesta região espanhola que, com 3.603 mortes, é a mais afetada pela doença no país.

Hoje chegaram os primeiros cadáveres a esta nova morgue, habilitada no futuro Instituto de Medicina Legal, nos arredores de Madrid, com a qual se amplia a capacidade da primeira, instalada na semana passada no Palacio de Hielo da capital.

A região de Madrid somou só nas últimas vinte e quatro horas um total de 211 mortes, segundo os dados oficiais publicados hoje, embora haja um dado positivo neste número trágico, já que o aumento foi 31,9% inferior ao de ontem.

O número de mortes conhecido esta terça-feira é o mais baixo da região nos últimos nove dias e representa 24,85% do dado nacional.

Espanha tem um total de 94.417 casos positivos de coronavírus e 8.189 falecidos, informou o Ministério da Saúde esta terça-feira.

A nova morgue é um edifício equipado com câmaras de conservação e instalações acondicionadas que poderão albergar até 240 corpos.

O objetivo, segundo fontes do Governo regional, é "facilitar o trabalho dos serviços funerários, mitigar a dor das famílias e responder à situação de todos os hospitais de Madrid".