EFEMadrid

O Governo da Comunidade de Madrid vai realizar um fecho do perímetro da região durante os próximos dois fins de semana, que terão um feriado nas segundas-feiras, indo contra os critérios da maioria das regiões, que estão a adotar um período mais longo, conforme indicado no decreto de estado de emergência proposto pelo Governo de Espanha.

O anúncio foi feito esta quinta-feira pela presidente da região autónoma de Madrid, a conservadora Isabel Díaz Ayuso, que pediu ao Governo central um novo diálogo para flexibilizar as aberturas e fechos das comunidades autónomas apenas em dias "essenciais".

Ontem, por carta, Ayuso pediu ao presidente do Governo espanhol, Pedro Sánchez, que feche a Comunidade de Madrid por alguns dias em vez dos sete exigidos pelo decreto real do estado de emergência, aprovado esta quinta-feira pelo Congresso.

No entanto, a primeira vice-presidente do Governo, Carmen Calvo, avisou hoje que o Executivo não ia alterar o decreto, que inclui a possibilidade de os Governos regionais, que têm competências na área da Saúde, decretarem fechos do perímetro dos seus territórios por pelo menos uma semana para conter a propagação do coronavírus.

Madrid é uma das regiões com maior incidência da pandemia, com mais de 300 mil casos declarados, segundo o Ministério da Saúde, que avançou 2.152 nas últimas 24 horas. As suas unidades de cuidados intensivos estão com uma ocupação de 38,9% com pacientes de covid-19.